Gestão tributária para farmácias: Como reduzir impostos

redução de impostos

Muitos empresários, especialmente os de porte menor, cometem um grande erro que é achar que não precisam de gestão tributária para farmácias e drogarias. Esse erro acontece, muitas vezes, pelo fato do empresário não entender a real importância desse serviço.

No entanto, a gestão tributária, que faz parte do modelo de contabilidade para farmácias, não se trata apenas de fazer contas, envolve planejamento tributário, classificação fiscal, passando pelo sistema operacional até a tributação fiscal para farmácias e drogarias.

A gestão tributária para farmácias é imprescindível por diversos motivos. Entretanto, o mais impactante é porque muitos estabelecimentos deste segmento pagam mais impostos do que deveriam.

Mas, então, como reduzir os impostos pagos em sua farmácia dentro da lei? Continue lendo este artigo e entenda.

Quais impostos estou pagando a mais?

Uma farmácia paga muitos impostos ao governo. Os principais tributos envolvidos são:

  • IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica);
  • CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);
  • COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social);
  • PIS (Contribuição ao Programa da Integração Social);
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);
  • Previdência Social Taxa da ANVISA;
  • Taxa de Licença de Funcionamento da ANVISA;
  • FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

Há ainda o ICMS no âmbito estadual e os tributos municipais como IPTU, TLIF, ISS, taxa de lixo, taxa de iluminação pública, alvará municipal, além de outros impostos, contribuições e taxas cobradas ao dono de uma farmácia.

Dessa forma, os donos e empresários precisam estar atentos à tributação de farmácias e drogarias a fim de analisar se o estabelecimento não está pagando mais impostos do que deveria.

Além disso, há outro fator que pode ajudar a farmácia a reduzir impostos. Veja no tópico abaixo.

Como a gestão correta do NCM pode ajudar a reduzir impostos?

A classificação fiscal NCM é utilizada para fiscalizações, estatísticas e para estudos de entidades governamentais. O que muitas pessoas não sabem é que a classificação incorreta gera tributações indevidas e penalizações aos empresários.

Portanto, uma das formas de evitar penalização é classificando e fazendo corretamente o controle de NCM para que o mesmo seja tributado de maneira correta.

Além disso, a informação certa da classificação fiscal NCM dos produtos garante que o varejista pague corretamente os seus tributos.

Logo, controlá-los de forma equivocada pode fazer com que sejam realizados pagamentos indevidos, o que irá gerar prejuízo a longo prazo ao negócio.

Ainda, saber utilizar corretamente a classificação fiscal NCM evita o retrabalho com emissão de notas fiscais, mantendo a gestão tributária da farmácia em dia, evitando inconsistências fiscais para a empresa e também reduzindo impostos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *